BRAZIL NIL NEWS

Ícone

News from Brazil

Morre a cantora e ativista Abbey Lincoln

A cantora e compositora de jazz americana Abbey Lincoln, conhecida por seu ativismo político e seu compromisso com as minorias, morreu neste sábado (14), aos 80 anos, em Nova York.

Segundo o jornal “The New York Times”, o irmão da última grande dama do jazz, David Wooldridge, confirmou que a cantora morreu em Manhattan.

As causas de sua morte não foram reveladas, embora Abbey Lincoln tivesse a saúde delicada desde que foi operada do coração em 2007.

A cantora foi personagem controvertido por seu compromisso com os direitos humanos e raciais nos anos 60 nos Estados Unidos. Nessa época teve sucesso também no cinema, e, depois, se aposentou. Mas ela reapareceu com força na década de 1990 como cantora, compositora e líder espiritual.

Abbey contracenou com Ivan Dixon, em 1964, no drama racial “Nothing but a man” e com Sydney Poitier, em 1968, em “Um homem para Ivy”.

Sua música foi derivando desde os experimentos mais estridentes e rupturistas do africanismo militante rumo a um repertório predominantemente de baladas, com uma doce suavidade inspirada em Billie Holiday.

A cantora nasceu Anna Marie Wooldridge em Chicago, no dia 6 de agosto de 1930, e cresceu na área rural de Michigan como a décima filha de uma família de 12 crianças.

Atraída desde jovem pela música se mudou para Los Angeles aos 19 anos, onde começou sua carreira. Seu último disco, “Abbey sings Abbey”, foi gravado em 2007, aos 77 anos.

Publicado agosto 15, 2010 – am:16 am Categorias: Jazz, Memória, Mulher, Musica | Comentários (1)“Tagged”, | Editar

Netinho: enrolado na justiça cantor-candidato esconde imóvel de R$ 2,5 milhões

Rogerio Cassimiro

O cantor Netinho de Paula ficou conhecido dos brasileiros por liderar o grupo de pagode Negritude Jr e comandar programas populares na televisão. Em 2008, ele se elegeu vereador em São Paulo pelo PCdoB. Dois anos depois do sucesso inicial nas urnas, Netinho parece ter adquirido gosto pela política. Nesta eleição, é candidato ao Senado na chapa que tem Aloizio Mercadante (PT) como candidato ao Palácio dos Bandeirantes e a ex-prefeita e ex-ministra Marta Suplicy (PT) como sua colega na disputa por uma das duas vagas reservadas ao Estado de São Paulo.

Em sua campanha, Netinho defende algo que chama de “socialismo à brasileira”. Não se sabe ao certo as bases dessa sua ideologia, mas, a julgar pelo padrão de vida do candidato, ela deve, entre outras coisas, defender ótimas condições de moradia a todos os cidadãos. Netinho vive com sua família em uma casa de quase 2.000 metros quadrados, com piscina, campo de futebol e espaço para festas. O imóvel está localizado em um dos condomínios mais luxuosos da Grande São Paulo, o Alphaville 8, no município de Santana de Parnaíba, e fica protegido por uma reserva ambiental particular. Uma casa no local pode custar até R$ 8 milhões.

Netinho comprou a casa em 2004, antes de entrar para a política e depois de ter deixado o grupo Negritude Jr, no auge de sua carreira como apresentador do programa Domingo da gente, na TV Record. O sucesso como artista é mais do que suficiente para justificar seu patrimônio. Falta a Netinho, porém, explicar como o imóvel, avaliado em pelo menos R$ 2,5 milhões, desapareceu de sua declaração de bens após ele ter se tornado vereador.

Segundo os registros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ao se lançar candidato a vereador em 2008, Netinho declarou um patrimônio de R$ 1,3 milhão. Entre seus bens, estava a casa onde mora. Neste ano, no entanto, ele informou à Justiça Eleitoral ter apenas R$ 193 mil em bens (uma redução de mais de R$ 1 milhão em dois anos), e a casa de Alphaville deixou de constar no seu patrimônio oficial. Documentos obtidos por ÉPOCA mostram que, em 2008, logo após Netinho ter declarado a casa à Justiça Eleitoral, ela foi penhorada para garantir o pagamento de uma dívida trabalhista do vereador com ex-músicos do grupo Negritude Jr.

Ricardo Côrrea

PADRÃO ALTO
A casa de Netinho, no condomínio Alphaville 8. No detalhe, dois veículos em sua garagem (à dir., um Porsche)

Para driblar a Justiça, Netinho doou a casa a quatro de seus sete filhos. No mesmo ato, reservou para si o usufruto vitalício do imóvel. Ou seja, na prática, Netinho poderia dispor para sempre da propriedade. A operação, no entanto, não deu certo. Pouco mais de um mês depois da manobra, a Justiça suspendeu a doação. Em março de 2009, a casa foi a leilão e chegou a ser vendida por R$ 1 milhão. Os advogados de Netinho, no entanto, conseguiram cancelar o leilão, com a promessa de que ele quitaria a dívida trabalhista. Um ano e meio depois, a dívida ainda não foi paga e o processo continua a correr no Tribunal Regional do Trabalho. Portanto, segundo o registro do imóvel, a casa ainda pertence ao cantor e vereador Netinho e deveria constar de sua declaração de bens ao TSE, conforme determina a lei eleitoral brasileira.

Em entrevista a ÉPOCA, Netinho mostrou estar confuso a respeito da propriedade da casa. Primeiro, disse que seria seu único bem. Segundos depois, porém, ele afirmou: “Eu não posso declarar (a casa) como minha, ela é uma doação”.

Na declaração de bens apresentada neste ano por ele à Justiça Eleitoral, constam cotas de participação em cinco empresas e um carro Sportage, da Kia. Mas na entrevista ele disse não ter nenhum carro. “O carro que eu uso é o carro do meu filho, o carro da empresa. Geralmente, quando vou fazer alguma coisa, a Câmara Municipal aluga um carro.” Questionado sobre o Sportage, Netinho disse: “Esse carro já nem me pertence mais”.

Na garagem da casa de Netinho, a reportagem de ÉPOCA viu, em dois dias diferentes, um Porsche conversível. Ele nega ser o dono: “Nunca andei de Porsche. Não tenho um Porsche na garagem. Vocês estão confundindo o Netinho”. Na quinta-feira passada, após a entrevista, o carro já não estava mais na garagem.

Além da casa, Netinho também omitiu da atual declaração de bens outras seis empresas que estão em seu nome. Uma delas é em sociedade com o cantor Alexandre Pires. Segundo ele, essas empresas estão em “processo de encerramento”. “Abrir empresa no Brasil é até fácil, mas para fechar é uma burocracia”, afirmou Netinho. Ao todo, pelo menos 11 empresas em nome de Netinho de Paula estão ativas na Junta Comercial do Estado de São Paulo e na Receita Federal.

Segundo levantamento feito por ÉPOCA, Netinho seria dono de um patrimônio de pelo menos R$ 3,3 milhões, R$ 3,1 milhões a mais do que o declarado por ele ao TSE.

De acordo com as mais recentes pesquisas de intenção de voto, Netinho tem chances reais de ser eleito para uma das duas vagas de senador por São Paulo. Segundo o Ibope, Netinho, com 18% das intenções de voto, está tecnicamente empatado na segunda posição com Orestes Quércia (PMDB), 20%, Romeu Tuma (PTB), que tem 19%, e Ciro Moura (PTC), 18%.

Na campanha, além de pregar o “socialismo à brasileira”, Netinho enfatiza sua origem pobre. “Ajudem este neguinho que vendia doces na estação de trem em Carapicuíba”, disse em discurso no Sindicato dos Bancários de São Paulo, na quarta-feira passada.

Ao pedir os votos dos eleitores, seria bom que Netinho também fosse mais transparente na declaração de seu patrimônio.
Alberto Bombig e Victor Fereira/Época

Publicado agosto 14, 2010 – pm:07 pm Categorias: Eleiçoes, Justiça, Lei, Musica, Radio | Comentários (1)“Tagged”, | Editar

Farra com nosso dinheiro: ministros do STF querem R$ 30 mil

O salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) pode passar, a partir de 1º de janeiro de 2011, para R$ 30.675,48. Projeto de lei propondo o reajuste de 14,79 % ao atual subsídio dos ministros, que é de R$ 26.723,13, foi encaminhado à Câmara dos Deputados pelo presidente do STF, ministro Cezar Peluso ( o sorridente da foto). Mesmo já estando na Câmara, o projeto, porém, só será analisado e votado pelos deputados depois das eleições de 3 de outubro.

Pela justificativa do projeto, a proposta é para que a revisão do subsídio dos magistrados venha a recompor as perdas sofridas pelo processo inflacionário. O valor do salário dos ministros do STF é estabelecido como o teto para os servidores públicos. Com isso, ninguém poderá receber, no serviço público, valor superior ao que o fixado para os ministros do STF.

O impacto financeiro da proposta é de R$ 2.022.677,00 só no Supremo Tribunal Federal e de R$ 446.764.072,00 no Poder Judiciário.

Publicado agosto 14, 2010 – pm:20 pm Categorias: Emprego, Justiça, Lei | Comentários (1)“Tagged”, | Editar

Revista Lola chegas as bancas em outubro

Angélica Santa Cruz apresentou a Roberto Civita o projeto gráfico de Lola, a nova revista feminina da Editora Abril que vem preparando para lançar dia 28 de  outubro.

“O dr. Roberto aprovou título, logo e fontes sem mudanças, o que é uma grande vitória nessa fase do processo”  diz ela, que deixou a Diretoria de Redação de Gloss, onde estava desde a sua criação, há dois anos, para assumir a nova publicação, que será mensal, com conteúdo sobre moda, beleza e estilo de vida, para mulheres com mais de 30 anos, “bem-sucedidas e bem resolvidas”.

Lola também contará com um site exclusivo, que funcionará como uma revista eletrônica de conteúdos inéditos. A meta é de que a página alcance média de 300 mil unique visitors em seus primeiros meses.

Embora ainda não tenha completado a equipe, Angélica já vem contando com o apoio da diretora de Arte Mayu Tanaka, do editor sênior Almir de Freitas (ex-Bravo), da editora de Moda Lena Carderari (ex-Gloss), da assistente visual Thaís Gouveia (ex-Rolling Stone) e da editora do site Gabriella Galvão, que respondia cumulativamente pelos sites de Gloss, Nova e Claudia.

Jornalistas&Cia

Publicado agosto 14, 2010 – am:17 am Categorias: Imprensa, Moda, Mulher | Enviar comentário“Tagged”, , | Editar

The Beatles: o primeiro concerto há 50 anos

Foram The Quarrymen, The Beetles, The Beatals, Johnny and the Moondogs, Long John and The Beetles e The Silver Beatles. Em Agosto de 1960, adoptaram o nome que os tornaria imortais: The Beatles deram o primeiro concerto há 50 anos.

Num clube em Liverpool um grupo de jovens músicos encontrava um novo baterista. E logo depois mudava de nome. A partir de então passaram a apresentar-se como The Beatles, partindo quatro dias depois para Hamburgo para uma primeira temporada intensa de concertos que acabaria por representar um importante passo para uma carreira que, mesmo assim, poucos ainda adivinhavam que os transformaria na maior banda de todos os tempos.

12 de Agosto de 1960: nesta data, há precisamente 50 anos uma banda de quatro rapazes procurava um baterista em Liverpool. O dono de um clube em Hamburgo (na Alemanha) tinha pedido a um promotor local que encontrasse uma nova banda para uma temporada no seu palco. John, Paul, George e Stuart eram os escolhidos. Mas para fazer as malas e partir faltava-lhes apenas um pequeno pormenor: um baterista.

Um concerto cancelado tinha deixado uma noite livre para os músicos dos Silver Beatles (como então se chamavam). E num clube viram então um jovem baterista a dar uso ao kit que tinha comprado recentemente. Chamava-se Pete Best e era filho da dona do Cashbah, bar onde os músicos já tinham tocado e para o qual tinham até pintado as paredes. “Ele conseguia manter a batida durante muito tempo, e por isso ficámos com ele”, recordam as palavras de John Lennon no livro auto-biográfico Anthology. E, de fato, no fim da noite Pete Best estava oficialmente no grupo. A outra novidade chegava com o nome da banda, que passava então a apresentar-se numa versão mais curta: simplesmente, The Beatles.

A aventura tinha começado em Março de 1957 com os The Quar- rymen e com John Lennon então como principal força-motriz. Paul McCartney chegou em Outubro e George Harrison em Fevereiro de 1958, mais músicos passando ainda pela banda. Houve outros nomes pelo caminho, de Johnny and The Moondogs a The Beatals, mais tarde The Silver Beatles. Com um baixista encontrado em Stuart Sutcliffe e, agora, um novo baterista, os Beatles viviam o dia um da sua existência já com uma agenda internacional. A partida para Hamburgo estava a dias de distância.

Paul McCartney pediu autorização ao pai. O ‘sim’ veio com recomendações e a necessária assinatura.  E assim, a 16 de Agosto, acotovelaram-se na carrinha de Alan Williams (o promotor local que lhes dera o contrato) que, como George Harrison recorda em Anthology, nem sequer tinha assentos, obrigando-os a sentarem-se em cima dos amplificadores.

Rumaram primeiro à Holanda e seguiram para a Alemanha, chegando fora de horas a Hamburgo. Os clubes estavam já fechados, ninguém ficara à sua espera. E estava na hora de dormir. O dono do clube que os havia contratado acabou por levá-los para sua casa e, como recorda George Harrison na mesma autobiografia, nessa primeira noite dormiram todos numa mesma cama.

No dia seguinte davam a sua primeira actuação no Indra Club, mas o conforto do seu dia-a-dia não melhorou muito   significativamente durante essa primeira temporada que  viveram no bairro da lanterna vermelha de Hamburgo, o mítico Reeperbahn.  Dormiam na sala de projeção de um pequeno cinema. E tocavam em sessões quase contínuas de quatro horas e meia aos dias de semana e de seis horas nos fins de semana. Foram ao todo 48 atuações, numa residência que se estenderia até 3 de Outubro e que, por queixas de ruído, os levaria a seguir depois para outro clube ali ao lado, o Kaiserkeller.  Em Novembro, George era deportado por ser menor. Pete e Paul partiriam pouco depois. Lennon regressaria só em Dezembro.

Vivendo sobretudo de versões de standards, a temporada em Hamburgo não só tinha revelado primeiros sinais do verdadeiro potencial do grupo, como representaria uma verdadeira escola de palco.  E quem os ouviu, pouco depois, em Liverpool, sentiu certamente que a banda tinha mudado. A história começava a escrever o seu nome.

DN/NF

Filha de Bono Vox fará filme com Sean Penn

A jovem atriz Eve Hewson, filha do cantor Bono, vai estrear-se no cinema com o drama independente «This Must be the Place». O site da revista «Variety» adianta que Hewson irá contracenar com o  Sean Penn.

«This Must be the Place» centra-se num ex-estrela de rock milionário, interpretada por Penn, que, aborrecido , resolve sair em busca do autor da morte do pai: um ex-nazista e atualmente refugiado nos EUA.

Eve Hewson interpreta uma fã de música punk que é uma das melhores amigas do protagonista. Frances McDormand também está confirmada no filme.

Paolo Sorrentino é quem escreve e realiza «This Must be the Place», ainda sem data de estreia prevista.

Eve Hewson ( na foto com o pai Bono Vox) participou recentemente na série televisiva «The 27 Club» (2008).

Publicado agosto 13, 2010 – pm:17 pm Categorias: Celebridade, Cinema, Musica, rock | Enviar comentário“Tagged”, , | Editar

Rolling Stones relançam filme de 1972

Uma versão resmatesrizada e restaurada do filme «Ladies & Gentleman… The Rolling Stones» vai estrear em cinemas do mundo inteiro.

O filme foi feito a partir de quatro concertos no Texas durante a excursão dos Stones de 1972, «Exile on Main Street American Tour». O filme , nesta nova versão,vai também trazer uma entrevista com Mick Jagger.

No site oficial da banda estão uma série de datas e de países onde o filme já tem a estreia marcada a partir de Setembro.

O Brasil ainda não faz parte da lista.

Publicado agosto 13, 2010 – pm:06 pm Categorias: Cinema, rock, shows | Enviar comentário“Tagged”, | Editar

Coletânea com músicas de Syd Barrett em outubro

Capa de A new compilation album called 'An introduction to Syd Barrett', que chega às lojas da Europa e Reino Unido no dia 4 de outubro
Capa de ‘An introduction to Syd Barrett’, chega
às lojas da Europa em outubro

A EMI vai lançar no dia 4 de outubro uma nova compilação de canções do cantor e compositor inglês Syd Barrett, um dos cofundadores da banda Pink Floyd. As informações são do site oficial do músico.

“An introduction to Syd Barrett” vai reunir canções compostas por Barrett tanto no Pink Floyd quanto em carreira solo. David Gilmour, ex-guitarrista da banda e amigo do cantor morto em 2007, assumiu a produção-executiva do álbum, colaborando com os engenheiros de som Andy Jackson e Damon Iddins na remixagem de cinco faixas: “Octopus”, “She took a long cool look”, “Dominoes”, “Here I go” e “Matilda mother” — Gilmour também acrescentou linha de baixo à música “Here I go”.

Quem comprar o álbum em CD ou em versão digital pelo iTunes vai poder fazer download da faixa instrumental e inédita “Rhamadam”.

Publicado agosto 13, 2010 – pm:27 pm Categorias: Musica, Web, rock

Anúncios

Arquivado em:Allgemeines

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: