BRAZIL NIL NEWS

Ícone

News from Brazil

Dilma teria tido amante mineira

No valetudo do final de campanha surge hoje a figura de Verônica Maldonado  dizendo “Dilma Rousseff é Lésbica, mas nunca quis assumir nosso romance publicamente”

A declaração é de Verônica Maldonado, uma doméstica que afirma ter tido um longo romance com a atual candidata à presidencia da república, Dilma Rousseff.

“Nos relacionamos durante mais de quinze anos, mas quando surgiu essa oportunidade em Brasília, ela nunca mais quis saber de mim”

Verônica afirma possuir fotos, cartas e outros documentos que comprovam a relação duradoura e pretende pleitear na justiça o direito à uma pensão mensal.

“Afinal nós tivemos um relacionamento durante mais de qinze anos, período em que deixei de trabalhar, estudar, apenas para ficar com ela. Acho que tenho direitos como qualquer outra mulher!”

Segudo o advogado de Verônica, Dr Celso Langoni Filho, a possibilidade de ganho de causa é concreta, uma vez que sua cliente é capaz de comprovar a existência de uma relação estável e duradoura. Ele cita o caso da Justiça de Pernambuco, que tomou uma decisão inédita este mês ao reconhecer a união estável de duas lésbicas para fins de pagamento de pensão.

“A decisão da juíza Paula Maria Malta, da 11ª vara da família e registro civil da capital pode abrir jurisprudência para que outros juízes sigam o parecer” Afirma Celso Longoni.

Em sua decisão, a juiza alegou que o artigo 226 da Constituição diz que a família é um bem da socedade e que tem proteção especial do estado. A lei se refere ao elacionamento entre homem e mulher, mas não fala em pessoas do mesmo sexo.

A nota está no blog Cata Geral

http://catageral.blogspot.com/2010/09/dilma-roussef-e-lesbica-afirma-mineira.html

Arquivado em:Dilma Roussef, Eleições 2010, sexo, ,

Mórmons excomungam calendário com missionários eróticos

A Igreja de Jesus Cristo e dos Santos dos Últimos Dias decidiu excomungar Chard Hardy devido à criação de um calendário sensual com missionários. Segundo o site ACapa, a decisão foi tirada após uma reunião entre líderes da religião em Las Vegas, nos Estados Unidos.

Apesar de vender mais de 10 mil exemplares com 12 missionários sem camisa, a US$ 14,99 cada um, Hardy foi o único que sofreu sanções por parte da igreja. Em entrevista à Associated Press, ele afirmou que sofreu tal punição por que “eles acharam o calendário inadequado. Não era a imagem que a igreja deseja ter”. Frank E. Davie, líder dos mórmons em Las Vegas, foi quem decidiu pela expulsão de Hardy.

Apesar da polêmica, o calendário “Men on a mission” já vendeu cerca de 10 mil exemplares. Cada unidade custa US$ 14,99 (R$ 24 reais).

Entre os 12, Brandon, o missionário de julho, realiza trabalho comunitário em Foz do Iguaçu, no Paraná.

Veja as fotos do calendário polêmico.

Mais informações sobre a exposição pode ser obtida no site www.mormonsexposed.com.

Arquivado em:Calendário Mórmon, Igreja, Mórmons, sexo

Congresso aprova pensão para gestante

O Congresso criou uma espécie de pensão alimentícia para a gestante. Pela proposta, aprovada na noite de anteontem, a mulher pode pedir na Justiça que o suposto pai de seu filho contribua em despesas de alimentação, exames médicos, remédios e parto.

É preciso, porém, que a mãe reúna provas de que o indicado é pai da criança. Caso ele negue a paternidade, será preciso fazer “exame pericial pertinente”, o que pode ser lido como teste de DNA. O procedimento é desaconselhado por médicos.

Antes de virar lei, o texto precisa esperar um prazo de recurso na Câmara, onde foi avaliado por último, e ser sancionado pelo presidente Lula. Se de fato for regulamentado, pai e mãe terão de compartilhar os custos decorrentes da gravidez. A contribuição de cada um será proporcional às suas respectivas rendas.

Para dar início ao pedido da ajuda financeira, a mulher terá de indicar as circunstâncias em que a concepção da criança ocorreu, quanto ganha aproximadamente o suposto pai e que necessidades terá na gravidez.
Também será preciso reunir provas de que o homem apontado é o pai e possivelmente indicar testemunhas.

Se o resultado do exame for negativo para paternidade, a mãe poderá ser responsabilizada por danos morais e materiais, diz o projeto. Caso a paternidade só seja confirmada após o nascimento da criança, a ajuda financeira da gestante deverá ser transformada em pensão alimentícia em favor do bebê.

Camara

Arquivado em:paternidade, pensão para gestante, Saúde, sexo

%d blogueiros gostam disto: